Acesso ao banco de empregos

Vamos sair da crise

Mercado Gráfico - 05/04/2017 - 09:59

Há quem diga que as crises têm seu lado bom: incentivam a criatividade. Mesmo quem as vê sob esse prisma reconhece que é preciso superá-las.

Por isso, “Vamos sair da crise”, afirmativamente, seleciona temas que precisam ser explorados e decifrados para superar esta etapa. Entre muitos, destacamos a avaliação do ambiente macroeconômico, ao qual estamos submetidos, padrões de sustentabilidade, as posturas do programa Two Sides, oportunidades oferecidas com novas tecnologias – web-to-print –, as despesas decorrentes da propriedade comercial dessas tecnologias – o que pagar... – para passarmos, finalmente, às inúmeras formas concretas de arranjos empresarias combinando modelos convencionais e inovadores de negócio - ... oportunidades com impressão digital.

Serão 5 temas de amplo alcance para os empresários discutirem e utilizarem suas conclusões na formulação de suas políticas diante do quadro econômico brasileiro e dos avanços tecnológicos recentes
introduzidos no mercado.

Duas palestras no primeiro semestre e duas no segundo. As inscrições gratuitas, estão abertas, para empresários e especialistas na área gráfica pelo site www.nucleologuin.com.br

Caminhos na crise da Economia
José Mauro Delella

Há inúmeras perguntas recorrentes no mundo empresarial: “Quando a crise vai acabar?”, “Chegamos ao fundo do poço?”, “O que fazer para voltar a crescer?”. Há um sentido de urgência nessas questões.

Delella tem se exercitado na tarefa de propor respostas para aquelas perguntas. Afastado de lugares comuns como – “é preciso cooperação entre todos” – “inovar é preciso” – tem se destacado pelo debate franco, frente a frente, com empresários e pela correção de suas previsões, tão difíceis na ciência da Economia. É hoje, um dos principais nomes na Consultoria brasileira.

Localizado no olho do furacão das grandes transformações tecnológicas a Indústria Gráfica, em particular, está diante de dilemas que vão do fantasma da extinção de alguns segmentos à descoberta de novos nichos de mercado. Como direcionar corretamente esses negócios? Para onde aponta o futuro? São questões presentes. Debater é preciso!

Por que imprimir em papel é sustentável e confiável
Fabio Arruda Mortara

Desde muito recentemente vimos sendo aconselhados a não gastar papel para imprimir. Onde, quando e como? Perguntas que Fábio Mortara responde com maestria.

Por 2.000 anos, o papel e a impressão foram os principais meios de comunicação. Num mundo multimídia, continuam a ser altamente eficazes e, se usados de forma responsável, inerentemente sustentáveis.

Por isso surgiu no Reino Unido em 2008, e aqui no Brasil em 2014, a campanha Two  Sides, que mostra por que a mídia impressa é sustentável, e como as florestas  plantadas tem um papel relevante no planeta. Atuando agora nos cinco continentes,  Two Sides baseia-se apenas em dados confiáveis, para combater o Greenwashing, e  promover a comunicação impressa.

O que pagar o que não pagar no licenciamento de softwares
Ademir Buitoni

No mundo da propriedade intelectual os voos nunca encontram céu de brigadeiro. Quem anda por ele navega entre nuvens escuras. São tantas as áreas de turbulência que trilhar as rotas mais conhecidas implica, entre tantas coisas, saber distinguir o que é lícito do que não é.

Advogado, Mediador, Diretor Jurídico de Brinquedos Estrela, Ademir Buitoni teve vários embates com gigantes do mundo digital, para preservar direitos e corrigir distorções de interpretação numa área ainda pouco regulamentada na qual o medo “do errado”, às vezes, confunde e precipita caminhos incorretos. 

As vitórias jurídicas vividas pelo apresentador trarão, certamente, elementos novos para o posicionamento dos empresários cada vez mais dependentes de tecnologia da informação.

Novas oportunidades além da impressão digital
Arnaldo Peres

Tirante a doença do corporativismo, um dos assuntos mais recorrentes no mundo empresarial, entender e aplicar fórmulas para garantirem sucesso na operação das gráficas vem sendo tratadas como questão de sobrevivência.

Quem melhor do que aquele que vive diuturnamente entre o trabalho de ganhar  encomendas e as mil exigências em atende-las para discorrer sobre as oportunidades,  visíveis e invisíveis, da comercialização?

No exato momento em que empresários de quase todos os segmentos da área são colocados diante de fantasmas digitais e da velocidade das inovações tecnológicas manter a calma e ouvir opiniões é preciso.

  Qual é o movimento real no mundo gráfico diante de inúmeras transformações? Onde  será e se houver quem vencerá a batalha final?  Arnaldo Peres traz elementos para provocar opiniões e sugerir caminhos.

1.000 negócios com web-to-print
Martilio Bueno

Web-to-print é um novo conceito de loja. Uma nova forma de vender e comprar. Sem endereço físico está onde os meios cibernéticos existam. Surgida como novidade há poucos anos atrás hoje é responsável por parcela importante nas vendas dos empresários. Não só nas vendas, nas compras também.

Para livrar o web-to-print do senso comum de servir a uma camada jovem e despretensiosa dos usuários de computador Martilio Bueno revela o mundo de possibilidades concretas e, muitas vezes, nunca dantes imaginada, de sua aplicação no mundo real pelos empresários.

São exemplos reais, iniciativas já consolidadas. Coisas que a TI já está fazendo pela rentabilidade de muitas empresas.

Há muitas unanimidades povoando o mundo empresarial. As discordâncias começam na hora de escolher as tecnologias aplicáveis.

A missão de Martilio Bueno e seu Print-One é trazer luz a esse debate com suas inovações. Muitas empresas de sucesso estão associadas à inovação que, aliás, sempre foi a alma do negócio, não é mesmo?

Fonte: Núcleo Loguin - Gráfica Inteligente

Fonte:
Tags:
<< Ver outras notícias